SAAE

SISTEMA DE ESGOTO

O SAAE-Itabirito pensando na sustentabilidade e na qualidade dos recursos hídricos do município conta comum sistema de tratamento de esgoto para atender a classificação do rio Itabirito. O rio Itabirito está na margem esquerda do rio das Velhas é o seu principal afluente em seu alto curso. Conforme deliberação normativa 20/97 as águas do rio Itabirito estão classificadas como classe II.

O sistema foi projetado pensando na capacidade de remoção de matéria orgânica a fim de promover condições naturais para a autodepuração do rio.

A estação de tratamento de esgoto do município possui as etapas que seguem: Tratamento preliminar (gradeamento, desarenação manual, aferição de vazão), Tratamento primário (peneira estática e reatores UASB), tratamento secundário (filtros biológicos percoladores e decantadores secundários), leitos de secagem, valas de aterro para a disposição final dos resíduos, elevatória de recirculação de lodo e do efluente final, bem como casa de administrativa e laboratório.

O efluente, depois de bombeado do Tratamento Preliminar, antes de ser introduzido nos reatores UASB, passa pela peneira estática onde, mais uma vez será gradeado.

A utilização de reator anaeróbio tipo UASB para o tratamento dos esgotos domésticos apresenta vantagens econômicas, por não exigir nenhum tipo de equipamento mecânico e ser eficiente na remoção de material orgânico. Entretanto, o efluente do reator anaeróbio necessita de um pós-tratamento, por não apresentar as características compatíveis com os padrões ambientais vigentes.

Os filtros biológicos percoladores consistem, basicamente, de tanques preenchidos com material de alta permeabilidade, brita sobre o qual os esgotos são aplicados sob a forma aspersão. Os filtros biológicos são sistemas aeróbios, pois o ar circula nos espaços vazios entre as pedras, fornecendo o oxigênio para a respiração dos microorganismos. Após a aplicação dos esgotos sobre o meio, o líquido escoa rapidamente pelo meio suporte. No entanto, a matéria orgânica é absorvida pelo biofilme, ficando retido um tempo suficiente para a sua estabilização.

O efluente tratado dos filtros biológicos é encaminhado para o decantador secundário, além da unidade de desidratação, leitos de secagem. O lodo aeróbio excedente, retirado do decantador secundário, é enviado de volta ao reator UASB para adensamento e digestão anaeróbia.

Foram previstos quatro filtros biológicos percoladores e quatro decantadores com capacidade de 357 m3 e 285 m3 cada, respectivamente, sendo dois filtros e dois decantadores implantados em primeira etapa.

O lodo produzido no reator UASB já sai estabilizado, podendo ser enviado diretamente para desidratação, leitos de secagem e disposição final.