SAAE

Coleta seletiva passa a ser regra no Saae de Itabirito

Os trabalhos para a implantação da coleta seletiva no Saae estão acontecendo há cerca de um ano

Coleta seletiva passa a ser regra no Saae de Itabirito

As substituições das lixeiras de cada sala da autarquia já estão sendo feitas pelas servidoras Sheila Góis e Heloísa França

O Serviço Autônomo de Saneamento Básico (SAAE) de Itabirito deu um passo importante em prol do meio ambiente e da sustentabilidade com a sistematização da coleta seletiva em sua sede e demais unidades.  A meta a partir de agora é conscientizar os servidores e trabalhar a separação dos resíduos dentro da autarquia para que seja feita a destinação correta do material produzido na autarquia.

Os trabalhos para a implantação da coleta seletiva no SAAE estão acontecendo há cerca de um ano e várias etapas foram concluídas até o seu lançamento. Na última sexta-feira (03/05), servidores da sede participaram de uma palestra que teve como um de seus objetivos o lançamento da campanha interna de coleta seletiva de resíduos.

A assistente de Divisão do Centro de Educação Ambiental (CEA) da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Aparecida Cunha, falou sobre a importância da coleta seletiva como agente de sustentabilidade e explicou como o serviço vai funcionar na autarquia.

Ela explicou que serão colocados três tipos de coletores, sendo 29 lixeiras de três cores nas salas, duas marrons no refeitório e no segundo andar para o lixo orgânico e cinzas para rejeitos não recicláveis, além de três conjuntos de lixeiras seletivas.

“O descarte correto do lixo é dever social de cada cidadão e ao dar o destino correto a ele, preservamos o meio ambiente de nossa cidade, ajudando a aumentar a vida útil do aterro e auxiliando o trabalho dos catadores”, disse Aparecida.

As substituições das lixeiras de cada sala da autarquia já estão sendo feitas e, durante esse processo, os servidores estão sendo reforçados sobre como a separação do lixo deverá ser realizada e a sua importância.

As lixeiras já estão sendo entregues nas salas

A chefe do setor Sócio Ambiental do Saae, Heloísa França, conta que a implantação da coleta seletiva foi uma demanda da ISO 9001/2015, assim como das gerências, mas obteve grande aceitação dos servidores em separar os resíduos de forma correta.

Ela contou que o próximo passo é fazer um trabalho de conscientização mais focada nos servidores da limpeza, pois eles estão em contato direto com o descarte de materiais e também para que se tornem agentes multiplicadores da coleta seletiva.

“A coleta seletiva não é mais uma novidade e esperamos a ajuda de todos os servidores vamos dar um passo importante no Saae em prol da preservação ambiental, que é um dos pontos centrais da atuação do Saae”, finalizou.