SAAE

Postado no dia: 15/05/19
Pós-graduandos da UFMG conhecem o funcionamento do Saae de Itabirito

O objetivo da visita foi conhecer o sistema de esgotamento sanitário municipal e ver a aplicabilidade das políticas públicas referentes aos recursos hídricos na prática

Pós-graduandos da UFMG conhecem o funcionamento do Saae de Itabirito

Na Estação de Tratamento de Esgoto do bairro Marzagão, eles conheceram passo a passo o processo de tratamento de efluentes

Um grupo de alunos pós-graduandos do curso de Geografia e Modelagem da UFMG participou de uma visita técnica ao Serviço Autônomo de Saneamento (SAAE), de itabirito, no dia (02/05), para conhecer o sistema de esgotamento sanitário municipal e ver a aplicabilidade das políticas públicas referentes aos recursos hídricos na prática.

A visitação foi coordenada pelo professor do Departamento de Geografia, Antônio Pereira Magalhães, que ressaltou a importância do encontro como forma de mostrar para os alunos como funciona na prática um sistema de saneamento.

Os visitantes foram recebidos na Estação de Tratamento de Água (ETA) do bairro Santa Rita, onde puderam acompanhar todas as etapas necessárias para transformar a água bruta em água potável. Nesse local, eles também tiveram a oportunidade de ver como funciona a Unidade de Tratamento de Resíduos (UTR), que separa a água do lodo evitando que três toneladas e meia de resíduos não sejam mais jogados nos córregos de Itabirito.

Os alunos também conheceram o Centro de Controle Operacional (CCO) que monitora à distância, em tempo real (online), os níveis dos 56 reservatórios do município, proporcionando, entre outras vantagens, maior segurança no abastecimento, economia de energia elétrica e de mão de obra e maior eficiência no combate às perdas de água.

Por fim, eles foram até a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), do bairro Marzagão, onde conheceram passo a passo o processo de tratamento de efluentes. O químico do Saae, Raphael Silva, apresentou em detalhes toda a operação do sistema e a importância deste para a sustentabilidade do rio Itabirito ao remover 90% da matéria orgânica que seria lançada nele.

O químico do Saae Raphael Silva falou do funcionamento da ETE

Ele ressaltou a importância desta articulação entre o meio acadêmico e o Saae para a promoção e a divulgação do trabalho em prol do saneamento do município. “O interesse de conceituados de centros científicos demonstra que estamos nos tornando uma referência na área de saneamento básico”, comemorou Raphael.

Para os alunos da UFMG foi uma oportunidade de entender a importância de uma boa administração para se atingir o máximo de desempenho e resultado na área do saneamento. Para os alunos foi um treinamento onde viram “in loco” os assuntos estudos durante os cursos.

O aluno de Modelagem, Warlen Librelon, considerou a visita muito positiva, pois foi uma oportunidade para obter o conhecimento prático do funcionamento de estações de tratamento de água e esgoto.

“Foi muito bom conhecer na prática que aprendemos na teoria durante o curso, tais visitas são sempre muito proveitosas para a troca de conhecimento e de experiências”, finalizou.